quarta-feira, janeiro 21, 2009

Essa história de cartas nem existe mais. Mas eu seria muito feliz se tivesse tempo e dedicação para escrevê-las. E que elas fossem como o amor, que mesmo de papel, a gente sempre lembra e tem pena de jogar fora porque lembramos de quem escreveu. E cartas e cartas, que sejam belas e durem pra sempre no fundo da caixinha que as guardamos.

3 comentários:

Isa Mozzer disse...

Perfeita analogia.

Isa Mozzer disse...

Vai lá no meu blog q tem uma corrente lá. Não se sinta obrigada a participar. Beijos Danizinha. E apareça mais no MSN.

Raysla Camelo disse...

Eu ainda me correspondo com amigos por carta. Conheci uma amigona através delas, desde 2006 a gente conversa.
=)
E as cartas de amor... elas também se fazem presente.

Beijo!