terça-feira, maio 22, 2007


Arrume uma loirona linda. Peituda, bunduda, depiladinha, com um cabelo bem liso e longo. De preferência bem vestida, cheirosa e de olhos claros... Ah, não se esqueça da boca carnuda e do nariz bem europeu. Não se esqueça que essa loirona tem que ter um apetite sexual voraz. Uma libido fora do normal...
Pronto! Você acaba de achar a mulher da sua vida! Você diz.
E muitos homens a desejam tanto quanto você a deseja. E ela te faz um homem feliz... Sexualmente satisfeito e com uma auto-estima elevadíssima. Seus amigos batem no teu ombro dizendo "Eita cara! Que mulherão você tem hein?"

Passam-se então meses de muito sexo e muitos elogios.. E um dia, você lembra que tem que levar os seus amados cachorros pra passear. Chama tua namorada e ela diz que detesta cachorros! Oras... Cachorros sujam e passear com cachorros faz suar e quebra a unha. [Tudo bem, você diz... Ela tem que se preocupar com a beleza]

Você se lembra que tem que ir à casa da sua avó comer a torta de frango que ela faz desde que você é menino ainda. E você adorava se deliciar com aquela torta e lambuzar os dedos com o catchup que ela colocava na torta. Você chama a namorada, claro! Não podia deixar de fora a mulher da sua vida de seu programa tradicional. Vocês enfim chegam e a vovó fala: Ela é muito linda pra você! [Obrigada Vó, viu? Se orgulhe do seu neto!]
E na hora da torta: Nossa amoor! Essa torta é muito calórica! Vou ter que passar horas e horas na esteira. Nada de comê-la.
Nossa! A desfeita com a vovó e com você. [Só um pouco amor?]
Não mesmo. Não me desce! E eu provavelmente vou vomitar essa torta.
[Tudo bem. Tudo pela boa forma ¬¬]

Você adoece. E se lembra da época que a sua mãe te levava cházinho na cama. E liga pra sua namorada, pedindo que ela fique um pouco com você para te fazer chá também e medir sua temperatura. Ela diz: Amor, desculpa. Tô no spinning! Liga mais tarde.
Ardendo em febre, você fica entristecido em casa, imaginando alguém pra cuidar de você. Lembra daquela amiga de trabalho... Não muito bonita, mas boazinha, um doce de pessoa: [Alô, Mariana... Me ajuda! Tô só em casa e precisaria que alguém medisse minha temperatura. Pode vir? ]
Claro!

Mariana tinha cabelos bem negros, cacheados, pouco acima do peso e usava um óculos esquisitíssimo... Era peituda, mas não bunduda. Tinha barriguinha e de vez em quando, esquecia de depilar as pernas. De tanto trabalhar, às vezes ficava suada e no final do dia, o seu perfume tinha perdido o cheiro.
Era meiga e doce, super espontânea e tinha um mundo de amigos homens que pediam ajuda e conselhos dela.
Mariana era engraçada e muito animada além de gostar de ajudar muito as pessoas.
Tem um porém. Nunca vi Mariana acompanhada. Ela dizia que estava esperando a pessoa certa. Virgem, ainda esperava o homem que viesse enfim, despertar seu desejo sexual e consolidar talvez, um casamento.

Chega então Mariana à sua casa. Antes, dá um beijo em sua testa e diz que vai ajudar.
Com o beijo ela sente sua temperatura e já vai colocando água no fogo pra fazer um cházinho do capim santo que sua mãe tinha colocado na geladeira.
Liga pra farmácia e pede uns comprimidos e pega um cobertor e te envolve com o cobertor e com carinhos no rosto. Vocês conversam e riem das besteiras do trabalho e ela já vai na cozinha, te dá o chá e o remédio.
Logo você pega no sono com os carinhos dela no seu rosto. E ela vai embora.

Chega a loirona linda da tua namorada, toda cheirosa e deita do teu lado... Quer sexo, oras! Você está doente, cansado. Broxa. Ela te paga o maior esporro e diz que você estava pensando em outra. Faz o maior barraco e sai da sua casa. Você liga, ela desliga. Você, doente, corre atrás dela e a vê fazendo o que ela queria. Com outro. SEXO! Se deliciando com alguém maior que você! O professor da sua academia!

Doente, cansado, frustrado, triste e se sentindo um lixo, você chega em casa.
Chora muito e delirando e tremendo de febre, você vê um óculos ao lado da sua cama. O óculos da Mariana.
Você liga pra ela, que estava desesperada sem o óculos e ela diz:
-Nossa, estava desesperada em meu óculos. Só não te liguei essas horas pra não incomodar você.
[Venha pegar seu óculos Mariana. Você pode dormir aqui hoje? Tô muito mal!]

Mariana foi tua amiga, teu ombro, teu anjo.
Se apaixonou por você!
E o que você fez?
É claro que foi procurar a loira dos teus prazeres delirantes.

Um comentário:

klaus disse...

hummmmmm
texto bao moça
eu concordo vc simm!!!
e se vim o corpo da lora boa
com a personalidade da otra
melhor ainda
kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
brincando moça
c jah sabe da minha historia neh
preciso fala nada
bjaoooo